jusbrasil.com.br
18 de Maio de 2021
    Adicione tópicos

    Ministério Público atinge metas dentro do planejamento estratégico para 2018

    As expectativas foram superadas e o Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL) finda 2018 com as metas do Planejamento Estratégico atingidas em 67,7%. Foram avaliados 18 tópicos que vão do combate ao crime às melhorias internas. O balanço foi apresentado na manhã desta quarta-feira (19) ao procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto. A adequação do efetivo de membros e servidores atingiu os 100%.

    Entre os itens, destaques para a defesa da probidade na gestão pública e melhora no combate ao crime. O Ministério Público, em 2018, desencadeou inúmeras operações para impedir ações criminosas praticadas por gestores municipais e servidores públicos, levando dezenas à prisão. Além disso, o crime organizado também esteve no foco dos seus combates com atuações dentro e fora do estado.

    A análise técnica do planejamento estratégico considera altamente positivo o resultado, reforçando que o percentual ainda não atingido já está em andamento, sendo peça prioritária nas constantes discussões das diretorias da instituição.

    Em 2018, conforme o que foi explanado, a promoção da saúde pública, da defesa do Meio Ambiente, dos direitos do consumidor também atingiram resultados bastante satisfatórios. Porém, vale salientar que também corresponderam ao planejado a promoção da proteção da Criança e do Adolescente, da garantira da cidadania plena.

    Também foram focados o aprimoramento da comunicação interna e externa, melhorias na infraestrutura, adequação dos recursos tecnológicos.

    “O Ministério Público busca o aperfeiçoamento para melhor servir à sociedade, bem como aos membros e servidores. Para isso, elencamos prioridades e desenvolvemos um planejamento estratégico que executado resulte em qualidade, garantia de direitos e respeito à sociedade alagoana. Dentro das nossas metas, atingimos quase 70% e vislumbramos um 2019 de muito mais positividade”, afirma o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto.

    Foto: Claudemir Mota

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)